Pitacos Fashion

Pitacos sobre moda, arte, cultura e muitas outras coisas. Welcome!

Subscribe to Pitacos Fashion Add to Technorati Favorites Add to Del.icio.us Favorites
mai 19

Essa vida é feita de oportunidades e elas não caem do céu. Todo mundo sabe disso, ou pelo menos deveria! Bom, eu não sabia… Só soube quando comecei efetivamente correr atrás daquilo que realmente fazia sentido pra mim. Aquela coisa do motorzinho que te move, sabe? E em muitos sentidos da vida, mas no momento, falo do lado profissional.

Nunca tinha acontecido comigo de arrumar dois empregos de uma vez. De ter que escolher qual eu queria. E aconteceu. E não foi fácil escolher, mas quando fiz a entrevista para a segunda proposta, me solicitaram uma redação sobre as tendências de moda num sentido geral, não só roupa, mas no contexto de vida, de mundo. E o texto ficou bacana, rendeu minha contratação e minha escolha. Tanto que quero compartilhá-lo com vocês:

No inverno 2011 serão usadas muitas cores sóbrias como o preto, o cinza e, ainda, o camelo. No meio disso, há inserções de cores fortes, como o azul royal (ou Bic), vermelhos e laranjas ou cores claras e suaves, como o rosa e o azul bebê.

Os recortes vêm mais geométricos e a cintura feminina vem demarcada de forma sutil, com cintos finos. Os tecidos vão do couro ao tweed, rendas e brilhos. Sapatos, ora flats e delicados, ora meia patas e pesados. Nem tudo é super justo, inclusive as skinnys de Karl Lagerfeld. O ar de bailarina cruza com forças militantes como se fosse um confronto pacífico. Aliás, tudo parece estar no hi-low. No ser forte e ser frágil, ao mesmo tempo em tempos diferentes.

A pele é mais natural, como se não precisássemos mais de máscaras, só da boca para se expressar, sem deixar de ver. Isso é: batons de cores fortes e olhos mais suaves, mas ainda marcados. Sem contar que esmaltes se tornaram acessórios indispensáveis para mãos trabalhadoras. E os cabelos, presos em coques e tranças para pontuar o comprometimento com o momento atual.

Todos se voltam para o streestyle, o que manda é a personalidade. As pessoas estão procurando se alimentar de forma mais saudável, inspiradas na cultura asiática. O que é também a busca pela espiritualidade. No meu ponto de vista, a moda, num contexto geral, tem ido de encontro à renovação indispensável do planeta.

Não me arrependo dessa escolha, muito pelo contrário. Valeu cada passo, cada aprendizado e, principalmente cada nova amizade que construí. Só que a gente tem que saber até quando as situações são de verdade interessantes pra gente. Até onde nos desenvolve de acordo com nossos ideais, até onde nos faz bem, nos deixa felizes. Pois pra mim, não basta suprir minhas necessidades. Até porque minha principal necessidade agora é crescer. E pra isso eu engatinhei, andei, plantei, tô colhendo e continuo plantando. E isso me fez querer e conseguir trilhar novos rumos dentro da mesma caminhada. A trilha se redirecionou, espero que em direção ao sucesso. E eu mando notícias!

Uma musiquinha inspiradora pra vocês! ;-)

Escrito por Dani Argibay em 19 maio, 2011 | Tags: , ,

fev 27

G1, 25/02/2010:Venda de artigos da Chanel provoca muvuca em Paris – 600 peças foram colocadas à venda, algumas com valores promocionais. Acervo tem objetos criados pela própria Mademoiselle Chanel.

O que seria isso, um exemplo de consumismo?

Ou, segmento de mercado pelo estilo?

Uma admiração pela marca, ou pela própria Chanel?

Ou o ‘ter’ mais importante que o ‘ser’?

Façam suas apostas!

Escrito por Dani Argibay em 27 fevereiro, 2010 | Tags:

jan 16

Esta semana, como disse semana passada, rolou o Rio Fashion Week Inverno 2010. E claro que vou falar sobre isso.

E a tecnologia da comunicação mais uma vez mostrou sua força, pois, com esse negócio de Twitter, pude acompanhar, entender e comparar opiniões de forma mais rápida e prática. E, claro, tirar minhas próprias conclusões. Uma delas, que me pareceu muito incomum, é que as coleções que foram apresentadas não combinam com o Rio de Janeiro na prática. Bom, todos nós sabemos que lá é sinônimo de praia, calor e carnaval o ano inteiro. E não só pra nós brasileiros, mas para o mundo. Essa é a característica do Rio, é a sua identidade. Uma vez li num blog: ‘Assim como São Paulo tem um sambódromo para imitar o Rio, o Rio tem uma Fashion Week para imitar São Paulo.‘ Acho que esta última edição deixou isso mais claro, pelo menos pra mim. Até porque, nesta edição, no Rio foram 27 desfiles no total, enquanto em São Paulo serão 38. São Paulo já se estabeleceu no mundo fashion. E lá no Rio realmente não faz inverno para que aquelas coleções sejam usadas na vida real. Aliás, nem aqui em São Paulo tem feito… (aquecimento global, oi!) Acho até que algumas propostas foram bem apropriadas, abusando de curtos, transparências e tecidos leves. É que moda é uma coisa que faz parte do dia-a-dia da gente, afinal precisamos nos vestir. E quem não gosta de ficar bonita(o) e parecer descolada(o), antenada(o)?

Dos profissionais da área que acompanho, alguns eram só elogios. Às  vezes, até pareciam ser simpáticos ou politicamente corretos (para não dizer puxa-sacos. Oops!). Outros já eram mais sinceros, falando que não era adaptável ou que eram cópias de coleções internacionais. Mas o que importa mesmo é avaliar e entender as propostas e recriar essa moda em nosso cotidiano.  Por exemplo: eu adoro cachorro e achei super divertida a proposta da New Order. Mas não conseguiria adaptar seu conceito ao meu guarda-roupa. Já o desfile do Victor Dzenk teve bem o meu jeito, super me identifiquei, a-do-rei! E as coleções da Cantão, Maria Bonita Extra e Cavendish agradaram muito o meu gosto.  E vocês, com o que se identificaram? O que dos looks apresentados gostaria de adaptar ao seu Inverno 2010?

Da mídia, posso dizer que vi muita crítica e comparação. Quem compara, pára. E que atire a primeira pedra quem nunca pediu a Deus pra ter só um pouquinho do talento da Chanel. Em entrevista ao Portal Fashion Forward, o jornalista de moda internacional Godfrey Deeny disse: ‘Sempre existe inspiração. (…) A cópia não importa quando há interpretação. O que considero ruim é quando não há visão nenhuma em cima da inspiração‘. Se estamos nos sentindo inferiores é porque nos fazemos de tal. Um amigo meu cita em seu MSN: ‘A criatividade consiste em ver o que todo mundo vê e pensar o que ninguém pensou‘ (Albert Szent-Györgyi, médico húngaro vencedor do Prêmio Nobel de Medicina de 1937). Pelo menos em termos de Fashion Rio, não duvido que foi dado o máximo de cada designer e suas inspirações. Como já disse acima, a identidade do Rio é bem diferente da de São Paulo. E isso não é crítica, é constatação do fato de que cada lugar tem suas características peculiares que os fazem ter personalidades próprias. Assim como o ser humano que tem sua individualidade. Só que isso acaba nos estimulando a esperar mais do SPFW. Claro que, assim como no Fashion Rio, esperamos que as coleções venham com pensamentos que ninguém pensou. E se não vir, cabe a nós colocarmos nossa cacholinha para trabalhar e expressar nossa personalidade através de nossa indumentária. Ou seja, ver o que todos vêem e pensar do nosso jeito.

Ainda assim, vale lembrar que a palavra tendência voltou a ser tendência. E, segundo o que Glorinha Kalil interpretou do Fashion Rio, pode esperar para ver muito mini, transparências e segunda pele, brilho como o  lurex, saltos e plataformas, ankle boots ou botas de canos longuérrimos e cabeças adornadas. Já as bonitenhas da Oficina de Estilo twittaram que o vocabulário da estação será: ombros destacados, cintura marcada, volume na parte de baixo. Vamos conferir!

E enquanto vocês pensam pra me contar o que mais gostaram do Fashion Rio, deixo aqui para vocês saberem o que eu mais gostei de cada desfile, aquilo que achei adaptável à realidade, mesmo que seja uma peça aqui, outra acolá. Necessariamente nesta ordem:

 

 

Victor Dzenk (08/01/2010)

Maria Bonita Extra (11/01/2010)

Nica Kessler (13/01/2010)

Cavendish (10/01/2010)

Graça Ottoni (10/01/2010)

Filhas da Gaia (10/01/2010) e Andrea Marques( 13/01/2010)

Cantão (09/01/2010)

Têca (12/01/2010)

Mara Mac (10/01/2010)

Juliana Jabour (11/01/2010) e Giulia Borges (08/01/2010)

Walter Rodrigues (09/01/2010) e TNG (11/01/2010)

Patachou (13/01/2010)

Espaço Fashion (12/01/2010)

E esses são aqueles que eu não achei tãããão adaptáveis assim, não necessariamente nesta ordem (com excessão do última…). :P

Claudia Simões (11/01/2010)

New Order (13/01/2010)

Redley (12/01/2010)

R. Groove (12/01/2010)

Melk Z-Da (08/01/2010)

Acquastudio (11/01/2010) e Lucas Nascimento (09/01/2010)

Coven (10/01/2010)

Printing (09/01/2010)

O último e o primeiro: Alessa (13/01/2010) e Aüslander (08/01/2010)

Agora, criar fôlego para acompanhar a SPFW! Ser peona não é bolinho!!

As fotos foram retiradas do GNT Estilo.
Escrito por Dani Argibay em 16 janeiro, 2010 | Tags: , , , ,